PRODUTOS E SERVIÇOS - FREIOS

VEJA OS ÍTENS DO SISTEMA DE FREIOS E PRAZOS DE MANUTENÇÃO

O freio do seu carro está longe de ser apenas aquele pedal entre o acelerador e a embreagem. O pedal só faz acionar um sistema complexo que transforma a pressão mecânica do seu pé em pressão hidráulica que chega até as rodas e as faz parar.
A maior parte dos carros brasileiros tem freio a disco nas rodas dianteiras e com tambores nas traseiras. Veja a função de cada peça do sistema de freio, os problemas que você pode detectar e os prazos de duração de cada item. O conjunto de freios deve passar por uma checagem a cada 10 mil quilômetros.


PEDAL

O que pode acontecer – O pedal em si não costuma estragar. Se ele começa a ceder, é indicativo que existe algo errado no sistema de freio.
Prazo de troca – Geralmente não é trocado, salvo se entorta por algum acidente.

SERVO FREIO

Tem a função de auxiliar a atuação do freio, multiplicar para todo o sistema a força empregada pelo motorista no pedal. Sem ele, seria praticamente impossível parar o carro. Ele funciona com o vácuo gerado pelo funcionamento do motor. Esse é o motivo que deixa o pedal duro quando você desliga o motor.
O que pode acontecer – Em caso de defeito, o pedal fica pesado. Se isso acontecer, é um sintoma que o servo freio está estragando.
Prazo de troca – Não precisa passar por manutenção. A média de durabilidade é entre 120 mil e 200 mil quilômetros. Só deve ser trocado se apresentar problema.

CILINDRO MESTRE

Sua função é a de abastecer o sistema de freio com fluido vindo do reservatório e transformar a pressão mecânica de pisar no pedal em pressão hidráulica.
O que pode acontecer – O maior problema é corrosão interna por uso de fluido contaminado com água ou vencido. Se as válvulas ou borrachas internas estiverem com problema, o pedal de freio ficará baixo.
Prazo de troca – O cilindro dura mais de 100 mil quilômetros se for feita a manutenção correta, ou seja, troca do fluido de freio a cada 10 mil quilômetros.

FLUÍDO

É o líquido que faz funcionar todo o sistema hidráulico de freio. Fica no reservatório acima do cilindro mestre.
O que pode acontecer – O principal problema é o acúmulo de água no fluido, que reduz a capacidade de frenagem. Ele não deve ser completado. Se baixou o nível, é sinal que há vazamento em algum lugar.
Prazo de troca – Se o motorista trocar o fluído a cada 10 mil quilômetros, há menor chance de corrosão nas peças.

CANOS E MANGUEIRAS

São os dutos que levam o fluído do cilindro mestre para as rodas. Há canos de cobre nas partes sem flexão e mangueiras próximas às rodas onde há movimento, os chamados flexíveis.
O que pode acontecer – Como são condutores, os canos e mangueiras nunca podem se romper. Se isso ocorrer, vaza o fluído e carro pode ficar sem freio. Em caso de vazamento, a peça deve ser trocada imediatamente.
Prazo de troca – Não há prazo de troca, mas precisam ser checados em todas as revisões. Se o motorista trocar o fluído a cada 10 mil quilômetros, a menor chance de corrosão nas peças.

PASTILHA DE FREIO

São as peças que ficam em contato com o disco de freio para parar o veículo. Estão apenas nas rodas dianteiras na maioria dos carros.
O que pode acontecer – Caso estejam gastas, o carro fica com menor capacidade de frenagem. O desgaste pode ser sentido pelo pedal.
Prazo de troca – A durabilidade vai depender do uso do motorista. Se ele anda mais na cidade e freia muito, as peças vão durar menos. Geralmente não são substituídas antes de 20 mil quilômetros.

DISCO DE FREIO

Como diz o nome, é em formato de um disco nas rodas e faz o contato com as pastilhas.
O que pode acontecer – O principal problema dos discos é quando eles estão gastos, quebrados ou tortos. Isso provoca trepidações na hora de frear. Pastilhas gastas podem danificar os discos.
Prazo de troca – Não há prazo de substituição. Em caso de desgaste ou frisos pelo atrito com pastilhas gastas, os discos podem ser retificados, mas é preciso observar a espessura mínima recomendada pelo fabricante.

LONA DE FREIO

Tem a função de fazer o atrito nas rodas traseiras com os tambores de freio. Elas também são responsáveis por travar o carro quando o motorista puxa o freio de mão, que é acionado por cabos.
O que pode acontecer – Caso estejam gastas, diminuem a capacidade de frenagem nas rodas traseiras. Também tornam difícil parar o carro com o freio de mão.
Prazo de troca – Assim como as pastilhas, depende da forma de uso. As lonas, porém, costumam durar mais do que as pastilhas porque o freio traseiro é menos exigido. Geralmente passam de 50 mil quilômetros.

TAMBORES

É uma espécie de bacia que fica nas rodas traseiras no entorno das lonas de freio. Quando o freio é acionado, a lona toca no tambor para parar as rodas traseiras.
O que pode acontecer – Mesma situação do disco. O maior problema é desgaste, caso a lona sofra desgaste.
Prazo de troca – Não há prazo de troca. Em caso de desgaste, podem ser retificados para ficar novamente lisos, observando a espessura mínima do fabricante.

Fonte: Terra